sábado, 24 de agosto de 2013

AO MULATO




Eu te amo mulato altivo,
Como em minha vida jamais amei.
És para mim o tudo entre o nada,
E uma noite infinda em seu olhar achei.

Amo-te mulato, nesta tua aridez
E anseio por sentir em mim, os lábios teus.
Amo-te mulato, no mistério em que te envolves
Perfeita e pura criação de Deus.

                  
                                                    Amo-te mulato nesta cor noite escura,
                                                    Com esta languidez que é tua natureza.
                                                    Amo-te mulato nesta negra estátua,
                                                    Ornada da mais rústica beleza.

                                                    Amo-te mulato nestas mãos imensas,
                                                    Que inquietas revelam o teu ser.
                                                    Amo-te mulato neste teu sorriso
                                                    E eu teu sorriso se resume o meu querer.

Amo-te mulato neste oriente
Que esconde tua boca e teus beijos.
Amo-te mulato neste corpo ardente
Que me enche de volúpia e de desejo.

Amo-te mulato nesta tua simplicidade,
E esta tua pureza me cobre de temor.
Como é que pode, alguém assim tão diferente
M e dar sem medo, seu profundo amor ?

                                                      Amo-te mulato, com muita, muita força
                                                      E este teu jeito me enche de emoção.
                                                      Amo-te mulato, conseguiste incendiar,
                                                      A Roma erma e gélida do meu coração.

Amo-te mulato, com seu ´porte,
       E quem cativa seu amor está com sorte,
                 Pois para o conseguir, só mesmo sendo ágil.

                Amo-te sublime consorte,
       Magnífico exemplar do sexo forte,
Já que eu teus braços sou pequena e frágil.

                                             


                                         20.07.1971

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo.

                                                      Na trilha do sol, nas asas do vento,                      envolto em luz, o olh...