segunda-feira, 28 de julho de 2014

Palavras da angústia






Resseca-me as entranhas lembrar o teu sorriso,
seu cheiro permanece envolvendo o ar. 
Pedaços do seu mundo estão por todo lado,
mas tua presença não consigo achar...



Num pequenino pedaço de momento,
julgo ver-te em visão bem repentina,
como uma sombra que passa sem ruído,
reflexo do que trago na retina.


O som da tua voz invade meu silêncio,
alcança minha alma chorosa e ferida.                                      
Falta-me o ar. Sufoco em saudade;
vejo esvair-se em ânsias, minha vida.




Saber-te perto e tão distante me angustia,
e o peso de sua ausência me causa tal tristeza,
que em negra solidão me vejo mergulhada,
procurando teu olhar na própria natureza.




Saiba que o amor é sentimento sem igual,
e dele a própria desventura emana.
Veja: quem ama magoa o ser amado,
e o ser amado magoa quem o ama.



Guarda o teu coração desta fraqueza,
para jamais na vida provar o desengano.
Fique na paz. Se cuida. Ame-se muito,
e lembra-te sempre do quanto eu te amo.





                     15/08/2013




                          

domingo, 27 de julho de 2014

Falar do tempo

video


Nosso tempo é tão breve
que quase nem percebemos.
Mal nos entendemos gente
pra planejar o futuro,
eis que passou num repente,
como no escuro um lampejo,
feito carinho, tão leve,
como o roçar de um beijo.







               Este nosso tempo breve,                    
                   onde o futuro é presente
                        e o presente já passou,
   anda nas horas brincando,
    de forma tão insistente,
      que quem pensa que está indo,
          pode mesmo estar voltando.






Quando vamos dizer que amamos ?
Quando vamos abraçar?
Admitir que sofremos,
que estamos a chorar,
que ansiosos esperamos,
um tempo que pode não dar.







        É preciso muita pressa,
para expressar o carinho,
porque tempo não se faz.
É ele quem nos domina,
ele que encurta o caminho
pra se praticar a paz.




Olha, é preciso plantar;
 preciso um livro escrever;
planejar o amanhã; 
preciso o hoje viver.
Mas como fazê-lo, 
se está confirmado:
o amanhã já é agora,
o hoje foi se embora
e tornou-se passado.






Escravos das horas, minutos, segundos, 
prisioneiros pacatos de planos profundos,
que muito em breve serão só lembrança.
Olhamos com medo o sol pelo céu,
porque já sabemos que o tempo cruel,
roubará com certeza a nossa esperança. 







Como entender as variações do tempo          
se agora é o futuro do passado.
Como impedir aos sonhos que despontem
se hoje é só o amanhã de ontem.
Se o tempo acelerado, gira ao nosso lado,
qual é o tempo da chegada ?  O tempo do adeus ?
Que tempo resta pro perdão? Valha-me, Deus !!! 




                             03/07/2014






Maria do Beco

                                                                                                 MARIA DO BECO       Conheci ...