sábado, 20 de julho de 2013

QUADRO

                                          


Irmão,
ontem, enquanto eu dormia
no aconchego do meu lar,
você morria,
preso, manietado, torturado...
Cristo nas mãos de seus algozes,
você se despedia
no meio do medo,
no eco da sua própria voz, 
pedindo,
suplicando,
chorando...
Eu que não fui sua irmã,
que não quis saber dos seus caminhos,
na inércia da minha omissão
despertei pela manhã,
vi o sol e soube :
__ Falta alguém na humanidade !

   



                                                 Irmão,
ontem, enquanto eu dormia
você morria,
e eu pergunto a Deus preocupada
no meio da violência
que entra no nosso Universo :
__ Será que nos seus últimos momentos
não pensou
em Ti ???








E eu lastimo
conselhos que não dei,
olhares que não olhei.
Na inércia da minha omissão
na minha individual  preocupação
nem sequer lhe perguntei:
__ Irmão, quais são os seus caminhos ?












Irmão,
ontem, enquanto eu dormia
você morria.

Meu corpo aquecido pelo lençol,
o seu torturado.
Meu amado ao lado,
você e o inimigo.
Minha cama quente,
o chão tão frio.
Minha liberdade,
suas mãos algemadas.
Minha segurança,
seu medo.
Meu sono,
suas lágrimas.
Meu silêncio,
seus gritos.
Minha inércia,
seu sacrifício.
Deus !!!  Me perdoe !


                             15.10.84


Minha homenagem a todos os meus amigos que se foram porque escolheram ficar do lado errado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo.

                                                      Na trilha do sol, nas asas do vento,                      envolto em luz, o olh...