sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Poeta




Poeta é o que anda à esmo, sem nunca poder parar,
É o que ama ao mundo, sem pedir pra ser amado,
É sempre o que escuta quieto, sem nunca poder falar,
E enquanto os outros dormem, só ele fica acordado.



Poeta é o que sofre as dores, sem murmurar um só ai,
É o que se fecha no escuro para vislumbrar a luz;
é o que desperta cantando, e cantando a vida, vai,
sem reclamar um segundo, do peso da sua cruz.



Poeta é o que ama as flores, é filho da natureza,
É o que transporta na carne os sofrimentos da terra,
É o que no pranto sorri, mesmo morto de tristeza,
E amor, bondade e nobreza, em seu coração encerra.


Poeta canta calado, entre os sons e o espanto,
É o que faz acalanto, sua divina mensagem.
É o que afoga na escrita, suas penas, dores e prantos,
E da sensibilidade a viva e sublime imagem.



Poeta é o que anda sedento de justiça e de amor,
É o que caminha como ébrio, em busca de inspiração.
Poeta é o que rende glórias à alegria e à dor,
É o que atravessa o inverno, com o sol no coração.
                                       

Poeta conhece a vida e sonda as almas, contudo,
Aceita sem lamentar, seu destino e sua sorte.
É o que ouve e não fala. O poeta nasce mudo,
E leal, franco e sincero é poeta até a morte.



                                                         04/08/1971

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo.

                                                      Na trilha do sol, nas asas do vento,                      envolto em luz, o olh...