sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Saudade







Saudade ingrata de mil maldades,
que me faz ver tudo torpe e enegrecido.
Ai, que me fazes ver o rosto tão querido
a flutuar no espaço.
Sou parte e parte de revolta e ódio
que se volta para Deus
na tentativa de se aperfeiçoar...
por que, saudade tu existes
e me fazes molhar o chão com minhas lágrimas?
Vivo sufocada por ti,
tu és a força que vai me matar;
tu sabes bem que és maldita.
És a morte !!!
Que queres fazer de mim, saudade ?
Uma tragédia, uma comédia ?
Queres fazer-me uma palhaça, suicida ?
Sou muito covarde...
Ao ver o rosto que amo
a flutuar a minha volta,
some o desejo de vingança, o ódio
e eu só choro...
de saudade.





                                                   20/04/1974

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Maria do Beco

                                                                                                 MARIA DO BECO       Conheci ...