sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Desvendando



Ontem o passado sussurrou ao meu ouvido,
Coisas que eu nunca poderia imaginar,
Coisas que no fundo eu não queria crer.
Segredos guardados no cofre da memória,
Esquecidos na rotina do sossego,
Pedaços perdidos no tempo a correr.

     


O soluço fechou-se no espaço vazio
Que a incerteza ocupou por tanto tempo
E onde as marcas já não provocam dor.
A frieza, tão comum na realidade,
Contrasta com a tristeza que é a fortaleza,
De onde a verdade precipitou o amor.


Ao se abrir a cortina que encobre a vida,
A amargura invade a claridade,
E se torna densa treva a pura  luz.
É preciso limpar a trilha do destino,
E então buscar no extremo da saudade
A força que liberta e conduz.



Talvez seja possível reviver as sensações,
Talvez seja possível, novamente rir
Mirando as paisagens agora renovadas.
É preciso então enterrar toda lembrança,
É preciso então contar segredos do passado
E ter as esperanças resgatadas.




                                                    18.12.2013





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Maria do Beco

                                                                                                 MARIA DO BECO       Conheci ...