sábado, 10 de setembro de 2016

Recado à alma.








Alma triste, alma chorosa,                                  
cala o pranto que derramas,
pois quem neste mundo não sabe,
o tanto quanto o amas ?









 Assim tão presa no tempo,                      
nas armadilhas em que entraste,
tu hoje vês com tristeza,
quanto... quanto te enganaste.








Mas é tarde, não há volta,                              
tens que seguir sempre em frente,
mesmo que aquele a quem amas,
esteja sempre ausente.




                                 Teu pranto lava a mágoa,                              
mas não apaga o futuro,
nem te esquece o passado,
tão gostoso e tão puro.









Alma triste e apaixonada,                                
que em dores, hoje explodes,
na solidão deste mundo,
viva enfim, enquanto podes.










                                                                            09/01/1982















Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo.

                                                      Na trilha do sol, nas asas do vento,                      envolto em luz, o olh...