quinta-feira, 9 de abril de 2015

Auto da dor e da vitória







Por estradas, trilhas, colinas,
tomada de grande alegria,
uma bela jovem caminha.
Ela foi agraciada,
pelo anjo exaltada,
e o seu nome é Maria.
Traz no ventre uma criança                                         que é a própria Esperança.


Pelos montes, pelos prados,
sob o sol quente e dourado,
pastores passam a cantar.
Um anjo anunciou:
__ Finalmente a paz chegou !
e lá se vão visitar.
Corações cheios de amor,
vão ver o Libertador.


Pelos campos, pelas matas
enfeitados de ouro e prata,                        
três reis vem do Oriente.
Seguindo a estrela dourada
que lhes guia a caminhada
trazem bonitos presentes.
Também querem conhecer
o Rei que acabou de nascer.          
                                                  
                                                               
Pelos caminhos, por trilhas,                                         cercado de mil maravilhas
está um menino a brincar.
No meio das flores se esconde,                                      mas se o chamam responde
com os olhinhos a brilhar.
Sempre alegre e risonho
Ele é a vida de um sonho.


Pelas montanhas e estradas,
a multidão deslumbrada,                         
segue um homem divino.
Tem palavras de doçura,
gestos de enorme ternura,
é simples como um menino.
Fala com autoridade.
este homem é a verdade.

Por becos, vielas e ruas,
vendo a realidade nua,
e sua gente sofrida,
seu toque cura o doente,
cegos veem novamente,
os mortos voltam à vida.
À mesa partilha o pão,
faz do amor Religião.



Por montes e negros caminhos,    
sentindo-se triste e sozinho   
rezando, chora sua sorte.
As oliveiras recolhem
o sangue que dos olhos correm,
prenunciando sua morte.
Homem das dores magoado
pagando por meu pecado.



Pelas ruas empoeiradas,
a multidão agitada,
leva o inocente aos brados.
Enganados sobre a lei
renegam o Divino Rei
e o entregam aos soldados.
E enfim é numa cruz
que sacrificam Jesus.

Por montanhas sinuosas 
vai Maria lacrimosa
em busca do Filho Amado.
Tão grande  é o seu sentimento,
tão intenso o seu lamento,
tem o coração lacerado.
Ferida em seu amor
Maria é a Mãe da Dor.


Por montes trilhas e estradas,
mulheres vão apresadas
ungir seu Rei sepultado.
Mas lá, um anjo anuncia
que há razão pra alegria
__Ele está ressuscitado !!!
Ecoa no ar essa voz:
__Ele está entre nós !!!






                   Páscoa de 2011.


Obs: Poema criado para encenação teatral.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Maria do Beco

                                                                                                 MARIA DO BECO       Conheci ...